Arquivo mensal: abril 2013

Oito ideias para a decoração da sua sala home theather

As propostas apresentadas neste artigo, abordam oito distribuições que ajudá-lo-ão a transformar a sua sala numa sala de cinema “home theater”.

Assim, vamos abordar de foram ilustradas varias opções para como a Tela embutida e vista privilegiada, decoração feito sob medida, usando tons em branco e laranja, ideias para clarear, aproveitado o conforto de cinema, criando espaços integrados, modulares e metálicos, e ainda aproveitando o espaço Irregular.

 

Tela embutida e vista privilegiada

 

1
O estilo predominantemente clássico é quebrado com as peças de desenho contemporâneo neste ambiente. Integrado ao espaço, o home theater, de 40 metros quadrados, recebeu uma estante de madeira pintada que abriga, a parte superior centra, um nicho para embutir a tela e, nas laterais, espaço para os equipamentos de som.

Quando não usada, a tela dá espaço ao bar, com fundo de espelho e iluminação embutida. Sofás pretos compõem com a poltrona, banqueta e almofadas revestidas de jacquard bege com motivo africano. A mesa de centro e o aparador, ambos com pés cromados e tampo de vidro, sobre tapete claro, complementam o espaço.

 

Feito sob medida

2

Mobiliário sob medida para aproveitar todos os espaços é o destaque deste projecto. O home theater de 12 metros quadrados, recebeu sofá em L e de linhas rectas, mantendo a unidade de tons com o piso de travertino romano rústico.

Para contrastar, um móvel baixo de radica de imbuía, abriga os equipamentos electrónicos e pufes de couro também funcionam como mesa de centro. As amplas janelas foram cobertas por persianas, como solução de leveza além de impedir o reflexo de luz na tela plana, posicionada na parede.

 

Em branco e laranja

3

Local de encontro familiar, este home theater, de 17,78 metros quadrados, deveria atender ao pedido dos proprietários que desejavam um ambiente clean, prático e muito confortavel. Os módulos de armários brancos com nichos para encaixe dos electrónicos em vários tamanhos e alturas.

De linhas rectas e sem detalhes, acompanham os estofados também brancos, poltronas que viram chaise e pufes de apoio sob a mesa de centro, para pequenos lanches, O contraste fica com as paredes revestidas de palha em tom laranja.

 

Para clarear

4

A proposta foi deixar o espaço, de 24 metros quadrados, mais claro e iluminado. Nas paredes foi usada a cor barbante bem suave e tetos, portas e móvel do home theater foram pintados de branco.

O piso também recebeu a cor branca na pátina para ajudar a ampliar o espaço. A sanca de gesso contorna todo o ambiente com iluminação embutida. Como a sala deveria abrigar os equipamentos de som e imagem, dois sofás de veludo e poltronas de couro branco dão o conforto necessário.

 

Conforto de cinema

5

Cerca de 24 metros quadrados é a metragem deste home theater. A proposta do projecto foi integrar os equipamentos electrónicos ao espaço, deixando o ambiente completo para receber os amigos.

O teto foi rebaixado com gesso para embutir os fios, caixas de som, iluminação e a tela. Um sofá arredondado, colocado de frente para a tela, delimita a área e cria a separação com a sala de jantar. Um pufe, no centro, substitui a mesa. Um móvel de madeira marfim e tampo de vidro foi projectado para abrigar os acessórios electrónicos. Todos os equipamentos são monitorados por controle remoto.

 

Espaço Integrado6

Este espaço, de 36 metros quadrados, abriga o home theater e o canto da lareira. De um lado, um confortável sofá foi posicionado de frente para o aparelho da televisão, que acomoda todo o equipamento do home theater distribuído em duas estantes laterais.

As poltronas, acompanhando o tom dos móveis, podem ser deslocadas quando necessário. Atrás do sofá, com direito a um lugar especial para relaxar, está a chaiselongue, delimitando o canto da lareira. Assim, os dois ambientes integrados assistem com conforto a programação da tela.

 

Modular metálico

7

Utilizado também como sala de estar, este home theater, de 30,80 metros quadrados. O amplo sofá de couro com almofadas de lona, colocado em L, compõem-se com as duas poltronas de encosto semi-circular em tons abóbora e creme.

Desenhado pelos arquitectos, o móvel modular metálico, que comporta a televisão e os demais equipamentos electrónicos, é composto por gavetas na parte inferior e guarda CDs e DVDs de forma organizada.

Na parede oposta, texturizada com massa corrida e tinta cm diversos tons de verde fosco, estão os armários numa composição geométrica para abrigar o bar. A mesa de centro com rodízios e estreitas gavetas, que deslizam sob o vidro, guarda fotos da família.

 

Em espaço Irregular8

 

A forma irregular do ambiente, de 22 metros obrigou os decoradores por adaptarem por um sofá de canto com mais um complemento, executado por tapeceiro, para cobrir três paredes do espaço, tornando-o confortável e aconchegante.

Uma das paredes foi revestida de palha nos tons das almofadas e do tapete de sisal com seda. A mesa de centro, no mesmo estilo rústico de fibras naturais, tem tampo de bambu prensado. Bem dimensionada, a estante abriga os equipamentos de som e imagem em nichos próprios.

Fonte: http://www.casaeplanos.com/sala-decoracao/oito-ideis-decoracao-sala-home-theater.html

Anúncios

Facilidade de financiamento e aluguel valorizado tornam imóvel investimento atrativo.

567284-Novas-regras-para-financiamento-de-Imóveis-Caixa-2013-02SÃO PAULO – Quem está disposto a investir não deve contar apenas com fatores subjetivos e incertos, como boa vontade e sorte, para aumentar seu patrimônio. Além dos objetivos a serem atingidos, dos riscos que envolvem a aplicação, do retorno financeiro obtido e das opções disponíveis no mercado, é preciso avaliar as tendências econômicas, sociais e políticas que podem influenciar nos investimentos.

Neste sentido, apesar da recuperação gradativa do mercado de renda variável no Brasil, depois do abalo sofrido pela crise de crédito norte-americana, investimentos mais sólidos, como no mercado imobiliário, podem ser, no momento, mais atrativos, ainda mais com as recentes facilidades de acesso a quem quer comprar imóveis para alugá-los ou, posteriormente, vendê-los mais valorizados.

“Com juros mais baixos, riscos baixos e a solidez contra confiscos, o investidor que aplica em imóveis tem vantagens diferenciadas das demais aplicações financeiras”, argumenta a empresa do ramo imobiliário Tibério Construções e Incorporações.

Mais facilidades Dentre as novas medidas que ampliaram o acesso ao financiamento, está a que permite aos trabalhadores que recebem acima de R$ 4,9 mil utilizar recursos do FGTS para comprar imóveis. Anteriormente, esses consumidores teriam de procurar os financiamentos com recursos livres dos bancos ou da poupança (SFH), cujas taxas de juros são mais altas.

Além disso, o Conselho Curador do FGTS decidiu aumentar o valor do imóvel a ser financiado, de R$ 130 mil para R$ 350 mil, sendo que cotistas do fundo podem ter direito a R$ 245 mil de empréstimo.

Outra novidade, desta vez anunciada pela Caixa Econômica Federal, foi de redução da taxa de juros pós-fixada para financiamentos de imóveis com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), para mutuários que optarem pagamento em conta-corrente no banco ou consignado. Dependendo da modalidade a ser contratada, a queda é de 1% ao ano.

Aluguel mais valorizado “Hoje, comprar imóvel tem sido cada vez mais fácil, seguro e barato. Em contrapartida, o aluguel de imóveis tem sofrido um aumento de preços desde 2003, devido à demanda crescente de quem não comprova renda familiar suficiente para adquirir um financiamento e precisa morar em imóvel alugado”, afirma a Tibério.

Comprovando a afirmação, em artigo publicado recentemente, o presidente do Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo), José Augusto Viana Neto, aponta que o valor da locação mais do que dobrou na capital paulista, entre 2003 e 2008. Se naquele ano o aluguel representava 0,5% do preço do imóvel, hoje vale, no mínimo, 1%, chegando, em alguns casos, a 1,5%.

“Isso transformou o setor em um dos mais cobiçados para os investidores”, afirmou. “Recentes divulgações apontam uma migração da população para a periferia da cidade de São Paulo, uns por necessidade de economia, outros por busca de maior tranqüilidade e qualidade de vida para si e sua família”, completou.

Cautela O futuro investidor não deve, entretanto, deixar se levar apenas pelas vantagens do mercado imobiliário aquecido e pelas facilidades que encontrar para adquirir uma propriedade. Antes de aplicar suas economias, o investidor deve avaliar cada detalhe do contrato, dando atenção especial a itens como forma de pagamento ou localização do imóvel que pretende comprar.

Além disso, como já mencionado, é preciso definir previamente um objetivo para fazer a melhor escolha. “Se for viver da renda do aluguel de imóveis, o ideal é optar por imóveis de dois a três dormitórios, cuja locação é mais rápida que os imóveis de mais cômodos. O prazo médio de locação destes imóveis é de cerca de 30 dias”, explica Tibério.

Fonte: http://dinheiro.br.msn.com/guias/facilidade-de-financiamento-e-aluguel-valorizado-tornam-im%C3%B3vel-investimento-atrativo-53

Lustres: modelos que são tendência para você decorar a sua casa

Aposte nos lustres para completar a decoração dos seus ambientes. Veja algumas dicas abaixo de grandes profissionais da área:

 

Volume

As luminárias do espaço Antiquário Began, assinado pelo arquiteto João Paulo Senziani, são feitas em fibra ótica com fadas de porcelanas da marca espanhola Lladró, assinadas por Niagara Chandelier Lladro

lustre-10860 (1)

 

Luxo e glamour

A Suíte de Claudia Leitte, decorada pela arquiteta Karina Afonso, ganhou um lustre assinado por Philippe Starck, no valor de R$ 230 mil

2

Todo azul

O lustre azul faz parte da casa Contêiner, que possui uma cozinha itinerante projetada pela arquiteta Brunete Fraccaroli

3

Ilumine-se

A suíte do Bem-Estar, da arquiteta Betina Gomes, ganhou um tom iluminado com o lustre dourado que imita galhos secos

4

Brincadeira

O lustre lúdico e colorido dá um toque especial à Suite da Filha Vaidosa, projeto arrojado e moderno de Clélia Regina Angelo

5

Delicadeza

O lustre em cristal Baccarat proporciona um toque de luxo casual ao ambiente Recepção do Hotel, de Denise Monteiro

6

Combinação

Lustres de diferentes tamanhos, modelos e cores iluminam o Quarto da Estudiosa, projetado por Ellen Cavalcante e Paula Ferraz para a Casa Kids

7

Regional

A decoração do Lounge do Músico, criado em homenagem à cantora Fafá de Belém, foi complementada com o lustre Baccarat, inspirado na arquitetura da região norte do país

8

Requinte

O Loft Rosita Missoni, do arquiteto Leo Shetman, tem lustres contemporâneos com um tom de vanguarda, que combinam com o estilo da grife Missoni, a homenageada da vez

9

Protagonista

Na Sala de Estar, dos arquitetos Nicolas e Iara Kílaris, o lustre de cristal roubou a cena

10

Cibernético

O lustre rebuscado é do Cyber Game Room, espaço de design moderno e ousado do arquiteto Daniel Kalil

11

Criatividade

Detalhe do lustre da Suíte Vivianne Senna, assinada por Denise Barretto

12

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/casa/fotos/decoracao/lustres-modelos-sao-tendencia-voce-decorar-sua-casa-630838.shtml#12

Construtoras focam em imóveis sob medida

Projetos incluem casas e apartamentos com lazer e segurança. Financiamento pode chegar a 35 anos e o FGTS pode ser usado

Rio – Cada vez mais construtoras investem em projetos imobiliários enxutos, mantendo a qualidade do acabamento e itens como segurança e lazer. Isso tudo na medida certa para garantir que os proprietários não estourem o orçamento com o condomínio e a prestação do financiamento, quando estiverem morando.

As opções incluem apartamentos e casas, em média, com 60 metros quadrados e em bairros como Taquara, Tomás Coelho, Engenho Novo, Del Castilho e Campo Grande, além dos municípios de Nova Iguaçu, Macaé, Mangaratiba e São Gonçalo.

Casa dúplex decorada, do Fiori, em Campo Grande, tem lazer completo | Foto: Divulgação

Casa dúplex decorada, do Fiori, em Campo Grande, tem lazer completo | Foto: Divulgação

As oportunidades contam com imóveis dentro e fora do programa habitacional ‘Minha Casa, Minha Vida’. As unidades podem ser financiadas em até 35 anos e o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) poderá ser usado, desde que o trabalhador se encaixe nas regras para saque. Os preços são a partir de R$ 115 mil.

“O conceito de apartamentos sob medida permite que famílias tenham a oportunidade de adquirir o imóvel próprio sem preocupações, sem perder o conforto. Nesse cenário, como o ‘Minha Casa, Minha Vida’, que permite a compra com juros mais baixos, todos podem ter a oportunidade de ter a casa própria com o máximo de lazer”, explica Leonardo Mesquita, diretor de Negócios da Cury Construtora no Rio.

Fachada do condomínio Completo Zona Norte, da Cury, que terá 279 apartamentos e itens de lazer como salão de festas, piscinas adulto e infantil | Foto: Divulgação

Fachada do condomínio Completo Zona Norte, da Cury, que terá 279 apartamentos e itens de lazer como salão de festas, piscinas adulto e infantil | Foto: Divulgação

A empresa tem 1.182 unidades pelo programa em vários bairros da cidade do Rio, como Engenho Novo e Tomás Coelho, e no município de São Gonçalo.

Mangaratiba e Macaé têm unidades

A Brookfield e a João Fortes também adotaram o conceito. Elas oferecem empreendimentos em Sahy, em Mangaratiba, e em Macaé. A Brookfield já lançou 1.767 unidades em Sahy, desde 2009. Desse total, apenas 424 estão disponíveis, com preços a partir de R$ 100 mil. Os condomínios contam com áreas de lazer próprias.

Já construtora João Fortes lançou a segunda fase do Residencial Brisa do Vale, pelo ‘Minha Casa, Minha Vida’, em parceria com a Prefeitura de Macaé. São 496 unidades dois quartos com ou sem suíte.

Campo Grande está em alta

Campo Grande é um dos bairros que reúnem vários projetos imobiliários com este conceito de residência sob medida. Construtoras como a Celta e a Fernandes Araujo oferecem empreendimentos que contam com imóveis de qualidade, lazer completo e segurança.

 Lazer do Riviera Premium, da Celta, em Campo Grande. Condomínio terá apartamentos de dois quartos com suíte | Foto: Divulgação


Lazer do Riviera Premium, da Celta, em Campo Grande. Condomínio terá apartamentos de dois quartos com suíte | Foto: Divulgação

O Riviera Premium Residences, da Celta Engenharia, por exemplo, tem 216 unidades. Preços a partir de R$ 199 mil. Serão apartamentos de dois quartos com suíte. O condomínio será construído na Av. Cesário de Melo 4.077.

Já a Fernandes Araujo acaba de lançar o Fiori Residências. Condomínio de casas dúplex com jardim e churrasqueira exclusivos, além da completa área de lazer. Os dois empreendimentos contam com financiamento da Caixa.

Zona Sul e Barra mantêm conceito de condomínios

Algumas regiões do Rio estão recebendo vários investimentos em infraestrutura por conta dos grandes eventos que a cidade sediará (Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016) e, por isso, têm atraído projetos imobiliários que se tornam viáveis para a nova classe média.

“O Rio está passando por um momento bastante peculiar, recebendo grandes eventos mundiais, que trazem investimentos maciços para a cidade. Nesse contexto e com o aumento do poder aquisitivo da população, novas áreas se valorizaram e vimos grandes oportunidades em lançar empreendimentos em regiões pouco exploradas”, explica Marcos Saceanu, diretor de incorporação da PDG Rio.

O objetivo da construtora é oferecer empreendimentos com a qualidade e conforto de imóveis da Zona Sul e Barra, mas com um preço mais acessível. “Os empreendimentos atraem não somente os moradores da região, que ganham uma opção de luxo no lugar onde já moram, mas também investidores que acreditam na valorização desses empreendimentos”, conclui Saceanu. Há unidades prontas em Campo Grande, com entrada de 15%, sem juros e o restante pode ser pago em até 120 meses, com mensais a partir de R$ 974.

Fonte: http://odia.ig.com.br/portal/imoveis/construtoras-focam-em-im%C3%B3veis-sob-medida-1.521855Z

TAPETES: Uma decisão importante para cada ambiente.

tapete5

Dada a enorme variedade de opções disponíveis, escolher tapetes para a sua casa pode ser um desafio tão grande como decidir o mobiliário para um quarto de casal ou eleger um sofá para a sala.

Com etiquetas de preços bastante dispares, fabricados artesanal ou industrialmente, assinados por uma conceituada marca ou designer, há que decidir ainda material, textura, tamanho, formato, cor, quantidade, com ou sem padrão. Passo a passo, este guia vai ajudá-lo a cobrir o chão da sua casa com muito estilo e conforto.

Decoração vs. Função

Para além de puramente decorativos – enquanto verdadeiras “obras de arte” conferem vida instantânea a qualquer espaço, sendo ainda um bom ponto de partida para começar a decorar uma divisão – os tapetes têm várias funções práticas: aquecem e são aconchegantes, escondem eventuais defeitos no chão, abafam ruído, protegem o chão de riscos, são fáceis de armazenar (ocupando pouco espaço), de transportar para outra divisão ou outra casa, na hora da mudança.

Chão de eleição

O local onde o tapete é destinado vai influenciar muito a sua escolha, ou seja, cada chão deve ser vestido conforme a utilização do espaço em questão. Colocar um tapete persa muito caro no quarto de brincar da pequenada não será o mais indicado; o mesmo se pode dizer, por exemplo, sobre um tapete com pêlo na cozinha. Idealmente, para locais como a cozinha ou a casa de banho – que têm grande movimento e sujam-se facilmente – deve escolher tapetes de fácil manutenção, ou seja, que podem ser lavados na máquina e pouco grossos, para secarem depressa.

Formatar os tapetes

Para além dos tradicionais tapetes quadrados e rectangulares, os tapetes redondos e ovais têm ganha cada vez mais destaque enquanto peça de decoração que, estrategicamente pousada no chão, tem um resultado surpreendente. Igualmente inovadores são os runners, tapetes estreitos e compridos para animar espaços mais comprimidos. Experimente vestir o seu chão com formatos originais!

Cores no chão

Elemento chave de qualquer ambiente, as cores dos tapetes devem estar de acordo com a restante decoração, ou seja, devem conter pelo menos uma das cores neutras presentes nas paredes ou nos têxteis da divisão. Obviamente que, dependendo da sua localização, os tapetes claros vão sujar-se mais fácil e frequentemente do que tapetes escuros e isto é importante ter em conta uma vez que os tapetes nem sempre são práticos, nem baratos de limpar. No entanto, a opção por determinado tom tem ainda outras vantagens: um tapete escuro pode funcionar como um excelente ponto focal, ora num espaço de grandes dimensões, ora num espaço com detalhes arquitectónicos menos agradáveis; um tapete claro, por sua vez, cria a ilusão de espaço.

Padrões perfeitos

Tapetes com padrões são uma delícia para qualquer chão – não tenha receio de escolher tapetes padronizados (geométricos, orientais, florais) em vez de lisos ou então de combinar os dois. No entanto, o ideal é não ultrapassar os dois padrões por divisão e, mesmo assim, é necessário criar um equilíbrio estético: se o sofá tiver um pequeno padrão floral, pode optar por um tapete com um padrão maior; se as cortinas ou outros têxteis ostentarem padrões de grandes dimensões, o padrão do tapete deve ser menor. Por outro lado, um tapete com um desenho central só funcionará num espaço onde a mobília pode estar disposta em torno do mesmo ou sob uma mesa de vidro, por exemplo. A escolha de determinado padrão também tem outras particularidades: um tapete com riscas horizontais vai fazer uma divisão estreita parecer mais larga.

Dimensões & Quantidade

Actualmente, não é difícil adquirir um tapete com medidas personalizadas, no entanto, saiba que para determinar o tamanho máximo que um tapete possa ter numa determinada divisão, deve existir pelo menos 91 cm em toda a volta, criando assim uma espécie de moldura entre o tapete e as paredes. No caso da sala de jantar, certifique-se que o tapete é maior que a mesa, para que as respectivas cadeiras possam repousar sobre ele, mesmo quando puxadas para trás. Por exemplo, uma mesa para 12 pessoas requer um tapete de, pelo menos 4 x 3 metros, enquanto uma mesa para 8-10 pessoas já pede um tapete mais pequeno (3 x 2,5 metros). Em termos de quantidade, dois ou mais tapetes numa única divisão são perfeitos para criar espaços distintos (sala de estar e sala de jantar quando estão na mesma divisão; espaço de dormir e espaço de trabalho no quarto de um adolescente, por exemplo), para definir as áreas de passagem e agrupar diferentes peças de mobília que possam parecer dispersas.

Tendências

Embora não existam modelos certos e errados, mas sim tapetes clássicos e contemporâneos, a verdade é que também estas peças decorativas são alvo das tendências e as atuais apontam para:

– Tapetes de feltro;
– Tapetes produzidos com materiais naturais;
– Tapetes com texturas profundas e apelativas ao toque (de pés e mãos);
– Cores sóbrias, mas padrões vivos (geométricos e tradicionais);
– Tapetes com formatos irregulares;
– Tapetes com fibras acetinadas para um brilho espectacular vindo do chão;
– Tapetes de sisal (com novas texturas, padrões e bordas coloridas);
– Tapetes finos;
– Menos uso dos tapetes com pêlo e/ou despenteados.

Fonte: http://eudecoro.com/artigos/guia-para-escolher-tapetes

As melhores opções para investir em imóveis

Imagem

Imóveis podem trazer excelente retorno para quem deseja investir e garantir uma renda extra.

São Paulo – Escolher a melhor forma de aplicar o dinheiro é uma dúvida de muitas pessoas. Hoje, são inúmeras as possibilidades de investimentos que propiciam retornos lucrativos, em curto e em longo prazo. O mercado imobiliário, como sempre, é uma alternativa que salta aos olhos dos mais diversos tipos de investidores que buscam obter uma renda estável com a venda ou aluguel do imóvel. De maneira geral, investir em apartamentos, salas comerciais e lotes, na maioria dos casos, é sempre um bom negócio, principalmente com o aquecimento da economia que impulsiona cada vez mais o setor.

“Um imóvel bem comprado pode trazer para o seu investidor excelentes resultados. Além da valorização patrimonial do bem, ainda tem a possibilidade de retorno com a locação”, explica José De Fillipo, diretor da D-Fillipo Netimóveis.

Mas por qual tipo de imóvel optar quando se deseja investir?

Segundo Marco Tulio Silva, diretor de vendas da Gran Viver, avaliar qual é o melhor investimento depende do momento de vida e dos objetivos de cada investidor. Cada tipo de imóvel apresenta seus pontos fortes, fracos e também os seus riscos, como todo negócio. “É impossível prever qual é o melhor ou pior investimento, depende de uma série de fatores. No geral, o bom imóvel é aquele que tem uma documentação regular, uma boa localização e uma empresa séria e de credibilidade no mercado, que garanta a sua entrega”, destaca Silva.

Confira as vantagens e desvantagens de cada tipo:

Imóvel na planta

Uma das maiores oportunidades está na aquisição de imóveis na planta, que geram maiores lucros em relação aos imóveis já construídos. “Esse é, sem dúvida, o melhor investimento. Quando o apartamento fica pronto, o lucro que seria do construtor passa a ser do investidor. Muitos jovens, inclusive, optam por alugar o imóvel assim que ele é entregue. Dessa forma, podem pagar uma parte das prestações do financiamento com o valor recebido do aluguel”, diz De Fillipo.

Os imóveis prontos também oferecem diversas possibilidades de investimentos. A pessoa pode optar entre residenciais e comerciais, que podem ser vendidos após a valorização patrimonial, ou alugados, garantindo uma renda mensal extra ao investidor. “Apartamentos menores, de um ou dois quartos, são os mais procurados, assim como salas e lojas, que proporcionam boa rentabilidade quando são locados”, explica o diretor. No momento de escolher o imóvel para comprar, o fundamental é estar atento a quatro fatores: o ponto, a planta, o padrão de acabamento e o preço. “A aliança desses quatro fundamentos garantirá a realização de um ótimo negócio imobiliário”, explica José De Fillipo.

Terreno

Outra alternativa é o investimento em lotes. De acordo com Silva, esse imóvel pode garantir uma série de vantagens para quem deseja investir. “O lote não tem grandes custos de manutenção, é simples e barato de manter. O tempo é seu grande aliado, diferente de outros bens, como carros, que desvalorizam com o passar dos anos. Além disso, um lote não sofre com crises econômicas, aquecimento global ou mudanças de governo”. Segundo ele, os lotes sempre se valorizam mais que os fundos de renda fixa e caderneta de poupança, o que faz deles ótimos investimentos.

Para quem adquire um terreno, são inúmeras as opções que geram bons retornos. “O investidor pode aguardar a valorização do lote e vendê-lo a preços bem maiores. No caso de lotes fora dos condomínios, pode construir um imóvel residencial e alugar os apartamentos, ou um galpão para empreender um novo negócio, obtendo uma renda complementar na aposentadoria”, explica Silva. De qualquer forma, escolher um bom lote para comprar é muito importante, seja qual for a opção de investimento. “A pessoa deve analisar o crescimento da vizinhança, o comércio, transporte público, o acesso para a região, a qualidade das construções do entorno, dentre outros. Esses fatores que irão determinar sua valorização”, ressalta ele.

Fonte: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/as-melhores-opcoes-para-investir-em-imoveis?page=2